Custo de obra: como economizar numa construção boa, bonita e barata?
Como economizar na obra?

Esse é um dos tópicos mais procurados por quem tem a intenção de construir ou por quem trabalha na área de arquitetura ou engenharia e não por acaso, pois o valor dispendido em qualquer construção atinge, facilmente, uma das maiores somas que alguém vai gastar em algum momento durante toda a sua vida. Além disso o projeto, a forma de contratação dos profissionais envolvidos, a forma de adquirir os materiais e as escolhas dos acabamentos fazem com que as discrepâncias dos valores entre obras próximas e parecidas sejam enormes. Nesse artigo vou discorrer um pouco sobre os custos de cada etapa de uma construção e dar algumas dicas do que pode ser feito na fase de projeto para se economizar na obra.

1 – CONTRATAÇÃO DO ARQUITETO
A economia começa nessa escolha e nesse caso não adianta procurar o mais barato porque nesse caso, sem dúvida, o barato sairá muito caro porque toda a obra e seu custo serão oriundos do trabalho desse profissional. Além disso, o valor de diferença na contratação dos projetos necessários à construção são infinitamente pequenos se comparados com o valor total da obra. Então guarde esse conselho: gastar o dobro com o arquiteto pode significar R$ 10.000,00 a mais no projeto, mas com certeza, significará R$ 200.000,00 a menos na obra e várias sessões de terapia que não precisarão ser feitas para resolver a raiva, o arrependimento e a frustação.
Se quiser saber mais sobre esse tópico pode acessar nosso artigo específico sobre esse item: http://gustavomello.com.br/post/arquitetura-como-contratar-um-arquiteto

DICAS DE OURO
  • Opte por um profissional que trabalhe na linha do tipo de arquitetura que almeja fazer, pois você só vai perder tempo e dinheiro pedindo a um modernista projetar uma casa clássica e vice-versa;
  • Procure profissionais que utilizam softwares como o Revit na elaboração dos trabalhos, pois ele integra diferentes áreas no mesmo arquivo tornando quase impossível existir falta de compatibilidade entre os projetos de arquitetura e os de engenharia, assim como quantitativos de materiais errados.

2 – QUE TIPO DE CASA CONSTRUO?
Praticamente toda a economia feita ou gasto equivocado na obra terão origem nesse trabalho. É a etapa mais importante e crucial para tudo que será feito. Portanto eu não preciso salientar que além de escolher bem o arquiteto as outras boas decisões que terão que ser feitas nesse momento são essenciais como o tipo, tamanho e forma do projeto porque qualquer modificação ou adaptação que será feita depois, durante a obra, se tornarão, com certeza, em prejuízos. 

DICA DE OURO
  • Projetos com arquitetura moderna tendem a ser bem mais baratos de serem executados porque economizam no telhado e na simplicidade dos acabamentos. Projetos de estilo neoclássico e similares são bem caros de executar por causa da quantidade de ornamentos que possuem.
  • Quando receber o projeto em mãos analise com cuidado para ter certeza de que ele atende suas necessidades. Se precisar visite locais parecidos, desenhe no chão as medidas de cada ambiente para visualizar os espaços e tire suas dúvidas com o arquiteto antes das fases de executivos de engenharia e principalmente antes de aprovar e construir. É muito ridículo você no futuro, no meio da obra, reclamar de que o projeto não atende suas necessidades e que você não sabia avaliar porque não é um profissional da área. Se você não é mecânico e consegue comprar um carro e avaliar se ele atende suas necessidades você também pode fazer a lição de casa e questionar se o projeto feito é o que você queria. Porque você pode chorar à vontade, mas o prejuízo e atraso na obra serão só seus.

3 – FUNDAÇÃO
Como eu posso economizar nesse item? Basicamente na escolha certa do terreno. Primeiro: locais em território baixo tipo várzea ou próximos a rios ou lagos provavelmente terão nível de lençol freático próximo do solo e isso significará uma fundação 3x mais cara do que a normal. Segundo: locais com muito aterro também terão custo maior, pois pedirão brocas mais profundas devido ao aterro ser solo mole. Terceiro: terrenos com desníveis muito acentuados obrigarão a execução de muros de arrimo e esse item significará um dos maiores gastos na obra porque levar terra ou trazer terra de outro local custa muito caro e além disso a alvenaria e a impermeabilização dos muros de arrimo custarão muito caro. Se quiser saber mais sobre como comprar certo um bom terreno pode acessar nosso artigo específico sobre esse item: 

DICA DE OURO: além de escolher o terreno certo caso tenha que vir a executar muros de arrimo faça da forma certa porque pode não parecer, mas eles caem a toda hora (basta uma chuva forte) e quando isso acontece sem MATAR ninguém os prejuízos são gigantescos porque implicarão gastos não só com sua obra, mas também com seu vizinho. 

4 – ALVENARIAS E ESTRUTURAS
Outro item que as pessoas não sabem, mas que dá para economizar. No quesito da ferragem compre-a já armada e orce em cidades fora da sua porque as cidades pequenas tendem a formar cartel de preços. Se estiver no Estado de São Paulo orce na capital, pois dependendo do volume e da empresa o frete não é cobrado. No quesito de formas opte por compensados pretos para vigas e pilares aparentes, pois embora possam ser mais caros do que as tábuas de pinus acabam ficando mais baratos porque evitam reboco e acertos de alinhamento por causa do rompimento de formas e do acabamento grotesco delas. Em se falando dos blocos, se puder, opte pelo cerâmico estrutural que é mais leve e desperdiça menos material para receber reboco ou gesso.

DICA DE OURO: quando comprar bloco tente sempre pedir uma viajem inteira para gastar menos com frete e no quesito da caixaria procure reutilizar as madeiras o máximo que puder mantendo elas em local seco.
5 – ESQUADRIAS
Este item merece um cuidado à parte porque as diferenças de valores nos orçamentos das peças de alumínio serão enormes entre empresas diferentes, mas lembre-se de orçar o mesmo perfil em todas elas para não levar gato por lebre. O ideal é utilizar tudo com perfil GOLD. Garantindo o perfil agora você pode economizar. A dica é ficar na cor branca, a mais barata com alturas entre 2,20 e 2,40. As persianas integradas encarecem um pouco as esquadrias, mas possibilitam iluminação do vão inteiro. Pense nisso.

6 – INSTALAÇÕES ELÉTRICAS
A economia é feita, em grande parte, no projeto porque depois fica difícil conseguir diminuir os custos e existem várias formas de se economizar nesse item:
  • Coloque as caixas próximas entre si e do poste de entrada, pois os fios de comunicação entre eles são bem caros;
  • Como hoje em dia as lâmpadas são de led e bivot utilize 110V para a parte de iluminação, pois o 220V gasta muito mais fios, principalmente em se tratando dos circuitos com paralelos. No restante utilize 220V senão a bitola terá que ser muito grande e isso vai encarecer;
  • Utilize boiler de aquecimento solar. A economia nas contas de luz no futuro vai ajudar bastante;
  • Atenção na escolha da marca dos módulos e espelhos das tomadas e interruptores. Os de plástico branco tendem a ser os mais baratos, mas cuidado com marcas MUITO baratas, pois elas quebram com facilidade. Se quiser economizar evite espelhos metálicos ou de plástico coloridos;
7 – INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS
A economia também é feita na parte de projeto porque depois fica difícil conseguir diminuir os custos. Novamente existem várias formas de economizar:
  • Não compre marcas desconhecidas ou com preço muito baixo. Os prejuízos virão no futuro;
  • Peça para o arquiteto locar shafts para as prumadas em casas com mais de um pavimento. Isso agiliza o trabalho porque evita recorte nas formas para passagem de encanamento; aumenta a segurança porque evita cortes nas ferragens e diminui a quantidade de encanamento quando os shafts ficam bem localizados;
  • Procure colocar as prumadas próximas e, quando possível, utilize de uma única para resolver mais de u ambiente, mas cuidado com o cálculo de vazão;
  • Reutilização de água da chuva é uma ação muito bonita, mas cuidado com a solução projetual que pode encarecer bastante a obra;

8 – PISOS E REVESTIMENTOS
Essa é uma das fases com maior possibilidade de exceder o orçamento, pois as diferenças de valor são gigantescas e também uma das fases que pode estragar a obra se os acabamentos forem escolhidos de forma errada. Qual a ideia então? Parece simples, mas é o bom senso e seguem abaixo alguns itens a serem anotados para quem quer economizar, mas sem abrir mão da qualidade:
  • Cuidado com as peças de porcelanato de grandes formatos, pois elas são muito caras. Veja a possibilidade de utilizar 60 X 60cm;
  • Cuidado com as compras em grandes lojas, pois muitas vezes eles vendem material ‘linha comercial’ que são peças com pequenos defeitos. Averigue antes de comprar;
  • Não compre marcas desconhecidas ou com preço muito baixo. Os prejuízos virão no futuro. Quer saber quais são boas? Assista nosso vídeo no youtube: https://www.youtube.com/watch?v=UOJBnPvewwE&t=10s;
  • Pastilhas de vidro e de mármore são lindas e deveriam ser vendidas na Hstern de tão caras que são. Tente usar bem pouco desse tipo de revestimento. Pense em usá-lo como um detalhe, uma faixa etc;
  • Fique de olho nas promoções e não espere a última hora para comprar os acabamentos. A ideia é ir comprando sempre que surgir uma promoção interessante e daí você marca a entrega para o futuro;

DICAS DE OURO:

Obviamente que não podemos
extinguir com um simples texto todas as possibilidade de economia em uma obra,
assim como a discussão varia muito para o tipo de obra que se deseja construir.
Tomamos como base nesse texto obras de nível acima do padrão médio. Se tiver
dúvidas sobre o custo de obra você também pode assistir nosso vídeo sobre o
assunto: https://www.youtube.com/watch?v=CHnGwaPh-Fs&t=105s

play_circle_outlineVer vídeo